Políticas Educacionais

Baseados nos princípios acima as Políticas Institucionais de ensino de graduação e pós-graduação são:

I – Formação por competência e habilidade

Com base nos princípios norteadores que fundamentam as políticas institucionais, o ensino baseado na formação por competências e habilidades constitui uma forma de atender às demandas da contemporaneidade para as instituições formadoras de ensino superior. O ensino passa a ser compreendido como um processo dinâmico de aquisição de recursos para resolver uma dada situação problema, superando a visão tradicional do ensino linear de transmissão do conhecimento, a qual não se adequa mais às demandas atuais. Assim o perfil profissional do egresso do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos em EaD da FMGR está pautado no desenvolvimento de competências básicas, competências tecnológicas e competências específicas, em coerência também com as Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos Superiores de Tecnologia.

II- Flexibilidade curricular

Para dar concretude a um ensino dinâmico e pautado nas demandas do mercado de trabalho e da sociedade em geral, os currículos precisam atender ao princípio da flexibilidade, que permite à Instituição organizar seus planos curriculares vinculados à realidade profissional e, assim, alcançar um adequado perfil de conclusão. Além disso, a flexibilidade garante oportunidades diferenciadas de integralização dos cursos, possibilitando aos alunos a construção de uma trajetória de formação autônoma e coerente com suas aspirações. Em coerência com essa política institucional de ensino, o Currículo do CST em Gestão de RH da FMGR foi elaborado de forma que as disciplinas estabelecem relação entre si. Além disso, possui um elenco de disciplinas eletivas, as quais o aluno escolherá conforme suas aptidões profissionais e pessoais. São disciplinas cujos conteúdos atendem às demandas mais urgentes das diversas áreas de formação e estão relacionadas aos pilares da educação ao longo da vida, que são referenciais para as políticas institucionais de ensino.

III – Interdisciplinaridade

A interdisciplinaridade está posta como uma política de ensino, uma vez que é compreendida como elemento capaz de dinamizar o ensino na medida em que promove a relação entre conteúdos, aprofundando conhecimentos construídos de forma globalizante, com objetivo de proporcionar olhares distintos sobre o mesmo problema, a partir de soluções que integrem teoria e prática, de modo a romper com a fragmentação no processo de construção do conhecimento. Dessa maneira os projetos pedagógicos dos cursos de graduação são estruturados de forma que favoreça articulações, aproximações e complementações entre conteúdos afins, numa mesma área do conhecimento, ou de outras áreas. Assim, um dos mecanismos de promoção da interdisciplinaridade são os projetos interdisciplinares que acontecem dentro dos cursos e entre os cursos. No Caso do CST em Gestão de RH essa política será implementada a partir de sua inserção nos projetos integradores já existentes entre os cursos da área de negócios, como Administração e o CST em Logística.

IV – Inovação

O processo de ensino e aprendizagem, compreendido como dinâmico, flexível e interdisciplinar é também alicerçado pelo princípio da inovação, colocado como uma política institucional norteadora das ações educativas. A inovação no âmbito dos projetos pedagógicos dos cursos acontece por meio das ferramentas tecnológicas utilizadas na condução das atividades pedagógicas pelos professores, mas também nas formas de gerir os projetos pedagógicos pelo Núcleo Docente Estruturante, nas práticas interdisciplinares entre os cursos e nas diversas ações de gestão acadêmica. Essas práticas objetivam a ampliação de experiências significativas de aprendizagens, valorizando a inclusão e o contexto sociocultural dos estudantes. No âmbito do CST em Gestão de RH as práticas de inovação estão desde os conteúdos do currículo ligados às questões mais atuais da área de formação, quanto às metodologias de ensino, onde a IES estimulará os professores através de cursos de formação e de apoio pedagógico.

V – Compromisso com o desenvolvimento social

As atividades pedagógicas estão pautadas também no compromisso com o desenvolvimento social da comunidade onde a IES está inserida, coerentemente com a missão institucional. Os conhecimentos produzidos no âmbito dos cursos de graduação objetivam ajudar na busca por soluções dos problemas locais. Com relação ao CST em Gestão de RH à Distância essa política institucional de ensino já será alcançada a partir do momento em que o curso for autorizado, uma vez que em coerência com o Plano Nacional de Educação (PNE), pretende-se a partir deste curso ampliar a oferta de vagas e melhorar as condições de oferta de ensino superior. Além disso, a oferta à distância abrange as necessidades de pessoas com disponibilidades de horários diferenciados. Quanto mais pessoas com formação superior, maior as possibilidades de desenvolvimento econômico e social de determinada região.

Diante das Políticas Institucionais de ensino de graduação e pós-graduação, a IES fomenta as suas Políticas de Ensino para Educação à Distância, que são:

  • Promover o desenvolvimento da cultura de Educação a Distância na Instituição
  • Articular as diferentes dimensões de ensino para a promoção de cursos a distância;
  • Fomentar o desenvolvimento de propostas inovadoras e sustentáveis para o EaD;
  • Desenvolver parcerias com instituições para a cooperação na área de Educação a Distância;
  • Contribuir para a garantia do acesso e permanência de jovens e adultos à educação superior;
  • Implementar e acompanhar práticas avaliativas integradas ao processo de avaliação institucional de modo a assegurar a qualidade de EaD;
  • Fomentar a formação pedagógica e tecnológica para qualificar o processo de ensino e de aprendizagem;
  • Promover o uso e o desenvolvimento de tecnologias avançadas para o processo de ensino-aprendizagem

Com relação às Políticas Institucionais de Extensão temos:

  • Estimular a ação docente e discente para a prática da atividade de pesquisa no âmbito dos cursos;
  • Cultivar a atividade científica na Faculdade e estimular o pensar crítico em qualquer atividade didático-pedagógica;
  • Produzir conhecimentos necessários para intervenção na realidade e suprir as necessidades institucionais, relacionadas com os seus projetos pedagógicos, e de caráter comunitário, relacionadas com as reais carências e demandas da sociedade;
  • Favorecer a integração e o intercâmbio da Faculdade com entidades patrocinadoras de pesquisa e com outras instituições científicas interessadas na produção de conhecimentos necessários ao desenvolvimento social, cultural e econômico da sua região de abrangência;
  • Constituir elo de integração entre o Ensino e a Extensão;
  • Estimular a participação dos estudantes de graduação nas atividades de pesquisa acadêmica.
  • Estimular a formação continuada através dos programas de pós-graduação,
  • Integrar as áreas de ensino, pesquisa e extensão;
  • Aprimorar a abordagem interdisciplinar no processo de aprendizagem.